Se deseja se candidatar a uma vaga no Curso de Mestrado, precisará ter concluído seu curso de graduação plena (em qualquer área) ou estar no último semestre do curso.

 

Cadastre seu Currículo na Plataforma Lattes. Se já cadastrou seu currículo Lattes, não esqueça de atualizá-lo antes de enviar. Reúna e nos envie também os documentos comprobatórios das atividades acadêmicas registradas em seu currículo, tais como diplomas, certificados, publicações etc.

 

Vamos pedir a comprovação de que você possui conhecimento intermediário de um dos seguintes Idiomas estrangeiros: inglês, francês, italiano ou alemão. No Edital há uma lista de Diplomas/Certificados/Declarações de proficiência em língua estrangeira que o Programa aceita como comprovação.

 

Queremos saber o que pretende pesquisar conosco. Por isso, prepare um Pré-projeto de pesquisa; algo breve, com no máximo 2000 palavras, sem contar as referências bibliográficas finais.

 

Será preciso pagar uma taxa de R$ 100,00 para a inscrição. O pagamento é feito por GRU. Veja as instruções de como gerar a GRU no Edital.

 

Depois de reunir toda a documentação solicitada no Edital de Seleção, envie em formato PDF para o e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. os seguintes documentos:

  • Ficha de inscrição
  • Currículo Lattes e documentos comprobatórios
  • Pré-projeto de pesquisa
  • Termo de compromisso
  • Diploma de Graduação (ou declaração de provável formando)
  • Histórico Escolar do Curso de Graduação
  • Documento de Identidade com foto
  • Documento comprovando proficiência em língua estrangeira
  • Comprovante de pagamento da taxa de inscrição

 

Após a tua inscrição ser homologada, realizaremos uma Prova de pré-projeto, na qual analisaremos a tua proposta de pesquisa. Se o teu pré-projeto for aprovado, realizaremos uma Prova Oral, isto é, uma entrevista que poderá ser realizada aqui na UnB ou à distância se você não residir no Distrito Federal.

 

Por fim, haverá uma Avaliação de currículo acadêmico, apenas classificatória, na qual a tua trajetória acadêmica será avaliada a partir da análise de teu curriculum lattes e dos documentos comprobatórios que você nos mandou na fase de inscrição.

 

Anexos

 

Docentes com disponibilidade para orientações de Mestrado

 

Aldo Dinucci é Professor do Departamento de Filosofia da Universidade de Sergipe e estudioso da sofistica e do ceticismo antigo. Coordena a seção sergipana da Cátedra UNESCO Archai.

 

Delfim Leão é Professor do Instituto de Estudos Clássicos da Universidade de Coimbra, Portugal, diretor da Imprensa da Universidade de Coimbra e tem se dedicado ao estudo da semântica e pragmática da arte, com experiência de duas décadas, como ator, encenador e investigador, na área do teatro antigo. Tem colaborado com a Universidade de Brasília em várias frentes, tanto editoriais como de investigação. É atualmente Presidente da International Plutarch Society (2014-2017) e coordenador, juntamente com Lautaro Lanzilotta, da série 'Brill's Plutarch Studies'.

 

Evaldo Sampaio é Professor Adjunto do Departamento de Filosofia da Universidade de Brasília. Doutorado em Filosofia pela Universidade Federal de Minas Gerais (2009) e Academic Visitor na Universidade de Oxford (2017-2018). Além de artigos em periódicos especializados e capítulos de livros, publicou Por Que Somos Decadentes? Afirmação e Negação da Vida Segundo Nietzsche (Editora UnB, 2013). Seus interesses atualmente se voltam para a Metafísica e a Filosofia do Conhecimento. Concentra seus estudos na questão da Filosofia como uma Direção Espiritual nos pensadores modernos (prolongando a abordagem proposta por Pierre e Ilsetraut Hadot), problemas de Ontologia a partir da Filosofia de Henri Bergson e as questões acerca da natureza da Matéria nos Sistemas modernos e contemporâneos.

 

Gabriele Cornelli foi presidente da International Plato Society (2013-16) e ainda Presidente da Sociedade Brasileira de Platonistas. Publicou livros, artigos e capítulos de livros dedicados a Platão e ao Platonismo, tendo já coordenado diversos projetos de pesquisa sobre o tema. É atualmente organizador do primeiro Companion sobre Platão em língua portuguesa (Imprensa da Universidade de Coimbra, 2015, no prelo) e da primeira edição da Obra Completa de Platão para a lingua portuguesa (Loyola).

 

Giovanni Casertano recebeu a outorga do título de Doutor Honoris Causa da UnB por causa da intensa e ininterrupta colaboração, que já dura mais de uma dêcada, com a Universidade e, mais especificamente, com a Cátedra UNESCO Archai. Publicou mais de 20 livros sobre Platão, além de inúmeros artigos e traduções de diálogos platônicos. Sete livros de sua autoria estão traduzidos no Brasil, sendo atualmente um dos autores mais influentes na formação de novos pesquisadores da área. Sua experiência de pesquisa e formação de recursos humanos nos estudos platônicos é inestimável.

 

Luca Jean Pitteloud é Professor de Filosofia Antiga do Centro de Ciências Naturais e Humanas da Universidade Federal do ABC (UFABC), com Pós-doutorado em Filosofia Antiga pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (PDJ CNPq 2015), pela Universidade Federal do Pará (PNPD CAPES 2014-2015) e pela Universidade de Brasília (PNPD CAPES 2013-2014) na Cátedra UNESCO Archai: as origens do pensamento ocidental. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em História da Filosofia, Metafísica (Aristóteles, Platão e Alexandre de Afrodísias), Ética, Psicologia (o problema da relação entre a alma e o corpo na história da Filosofia), a Filosofia helenística (Ceticismo e Epicurismo) e o Neoplatonismo (Plotino). Suas pesquisas atuais resolvem a questão da alma no "Timeu" de Platão, o princípio da não contradição e os argumentos regressivos em Platão e Aristóteles. Seu livro, La séparation dans la métaphysique de Platon foi publicado em dezembro 2017 pela editora Academia Verlag (Plato International Studies). Editor (com Evan Keeling) do volume Psychology and Ontology in Plato (Springer, Philosophical Studies Series, 2019).

  

Marcus Mota é diretor do LADI (Laboratório de Dramaturgia) e professor de Teoria e História do Teatro na Universidade de Brasília. Publicou livros e artigos sobre dramaturgia musical na Antiguidade e é dramaturgo e compositor. Tem publicado diversos artigos ligados ao entrechoque entre as descontinuidades das tradições estéticas na Antiguidade e suas recepções por meio de autores como Platão, Aristóteles, entre outros.

 

Miroslav Milovic possui graduação em Filosofia pela Faculdade de Filosofia de Belgrado (1978), Doutorado de Estado em Filosofia - Universite de Paris IV (Paris-Sorbonne) (1990) e Doutorado em Filosofia - Universitat Frankfurt (Johann-Wolfgang-Goethe) (1987). Atualmente é Professor Titular do departamento de Direito da Universidade de Brasília, atuando principalmente nos seguintes temas: Filosofia Contemporânea, Ética e Direito, Filosofia Moderna e Filosofia Politica.

 

Pedro Gontijo é  Professor Adjunto do Departamento de Filosofia da UnB. Tem Mestrado em Educação pela UnB e Doutorado em Educação pela UNICAMP. Pesquisa as relações entre Filosofia e Educação e a presença dos dispositivos e discursos sobre Direitos Humanos. Tem foco nas questões colonialistas e identitárias ligada a grupos minoritários e processos educacionais.

 

Priscila Monteiro Borges possui graduação em Comunicação social pela Universidade de Brasília (2002), mestrado (2005) e doutorado (2010) em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Atualmente é vice-secretaria geral da International Association for Semiotics Studies (IASS), diretora executiva do CIEP - Centro Internacional de Estudos Peirceanos, professora do PPG-Metafísica - UnB, colaboradora do PPGCOM - UFOP, professora adjunto do curso de Comunicação da Universidade de Brasília. Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Semiótica, atuando principalmente nos seguintes temas: Peirce, semiótica, comunicação, signtree e semiótica aplicada.

 

Rainri Back dos Santos é Professor Adjunto da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília. Doutor em Filosofia na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, sob a orientação do prof. dr. Marco Casanova. Desenvolve investigações principalmente a partir das seguintes perspectivas: a fenomenologia e, sobretudo, a hermenêutica. Suas pesquisas se desenvolvem sobretudo em torno d o seguinte problema: “A hermenêutica consegue abranger em sua perspectiva a influência das relações de poder sobre a educação, sobre a formação do ser humano?”. 

 

Rodolfo Lopes  é Professor Adjunto da Universidade de Brasília. Atua na área de Filosofia Antiga (especialmente Platão e Platonismo) e traduções de textos filosóficos gregos.

 

Rodrigo Brito é Doutor em Filosofia pela PUC-Rio (2011-2013). Pós-Doutorado em Filosofia pela University of Kent - UK (2015). No momento, vem cursando o Doutoramento em Linguística pela UFJF (2018-atual). É professor de História da Filosofia Clássica e Helenística na UFS (2013- atual). Atua em pesquisas e traduções de fontes primárias nas áreas de História da Filosofia Helenística e Tardo-Antiga, notadamente Ceticismo Pirrônico e Estoicismo. Publicou pela EDUNESP duas traduções de obras de Sexto Empírico em parceria com Rafael Huguenin (Contra os retóricos: 2013; Contra os gramáticos: 2015) e vários artigos sobre o tema. É membro dos grupos de estudo: ARCHAI-UnB (Filosofias Helenísticas e Tardo-antigas: recepção e dialética); GEFIL-UFS (concepções antigas de linguagem); Laboratório de Estudos Hum(e)anos-UFF (da Filosofia Política e das crenças); Diáspora Atlântica dos Sefarditas-UFS (as correntes e temas filosóficos que perpassam a obra de Abraham cohen de Herrera).

 

Rogério da Silva Lima é doutor em Semiologia, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professor Associado e foi chefe do Departamento de Teoria Literária e Literaturas da Universidade de Brasília, no biênio 2016-2018. Presidente eleito para gestão 2018-2019 da Associação Brasileira de Literatura Comparada - ABRALIC. Foi Presidente da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Letras e Linguística, ANPOLL, no biênio 2006-2008. Trabalha com autores e temas tais como: Literatura brasileira, Teoria Literária, Teoria do Texto, Estética, Crítica Literária, Leitura, Cinema, Pós-modernidade, Tecnologia, Cidade, Romance Pós-Moderno e Cibercultura, Literatura e Política, Literatura e Economia. Os autores com que trabalha são Gilberto Freire, Charles Morazé, Edward Said, Peter Sloterdijk, Jacques Derrida, Jean Baudrillard, Jean-Phillipe Toussaint, Michel Houellebecq, Cees Noteboom, Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade, Lima Barreto, Kawabata Yasunari, Vinícius de Moraes, Olavo Bilac, Coelho Neto, Sérgio Buarque de Hollanda, Celso Furtado. 

 

Silvio Marino possui Doutorado em Scienze Filosofiche (Filosofia Antica) - Università degli Studi di Napoli "Federico II" (2010), durante o qual estudou a Paris, no CNRS de Villejuif U.P.R. 76, sob a orientação do Prof. Michel Narcy (2009-210). Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia Antiga. É membro da Società Filosofica Italiana e collabora com o departamento de Filosofia da Università degli Studi di Napoli Federico II como “cultore della matéria”. Tem experiência na área de Filosofia Antiga, com ênfase em Filosofia Pré-Socrática e Platão, se interessando principalmente pelos seguintes temas: Diálogo platônico, Medicina antiga do Corpus Hippocraticum, Politica, Antropologia, Sofística, Paradigmas científicos do V e do IV século a.C. estética, semântica e semiótica aplicada ao pensamento platônico e à "teoria das ideias". Foi pós-doutorando de Filosofia Antiga nas Universidades de São Paulo (USP) e de Campinas (UNICAMP), sob a supervisão dos Professores Marco Zingano e Fátima Évora. Atualmente é Professor Visitante na Universidade de Brasília (UnB) e faz parte do grupo de pesquisa ARCHAI.

 

Wanderson Flor é doutor em Bioética e professor adjunto do Departamento de Filosofia da UnB. Pesquisa interfaces da ética e filosofia política por meio das problemáticas envolvendo a subjetividade e os processos de subjetivação. Neste ponto, está interessado nas questões que tangenciam as identidades nacionais e pessoais e se utiliza dos estudos sobre Colonialidade para investigar as influências do pensamento racial na constituição dos discursos sobre Estado e identidade.